Golpe de Estado: vencedor da eleição, Evo renuncia e denuncia violência dos fascistas - ComunicaSul - Comunicação Colaborativa

Ultimas

ad

Post Ads

11/11/2019

Golpe de Estado: vencedor da eleição, Evo renuncia e denuncia violência dos fascistas


Por Hora do Povo


“A luta não termina aqui. Os humildes vamos continuar com essa luta por igualdade, por paz. Neste momento, é nossa obrigação como presidente indígena buscar a pacificação”, afirmou Evo

O presidente da Bolívia, Evo Morales, anunciou neste domingo sua renúncia após uma onda de violência com mortos e feridos que culminou em um golpe de Estado fascista organizado por grupos oposicionistas que desconhecem sua vitória nas eleições de 20 de outubro.

Conforme o presidente, sua decisão foi tomada para que as pessoas mais pobres e humildes – assim como seus companheiros do Movimento Ao Socialismo (MAS) -, parem de ser perseguidos e golpeados, como é o caso de ministros, governadores, prefeitos e lideranças sociais. Até mesmo a casa de sua irmã Esther Morales foi incendiada por hordas fascistas. “Eu me demiti da minha posição de presidente para que (Carlos) Mesa e (Luis Fernando) Camacho não continuem a perseguir líderes sociais”, sublinhou.

Segundo Evo, “a luta não termina aqui”. “Os humildes vamos continuar com essa luta por igualdade, por paz. Neste momento, é nossa obrigação como presidente indígena buscar a pacificação”, destacou.

“Peço, com respeito aos bolivianos, que saibam como grupos oligárquicos conspiram contra a democracia. Não é inédito, mas temos a obrigação de buscar a paz. Nos dói que esses senhores, que perderam, levem a Bolívia à violência. Por isso estou enviando minha carta de renúncia”.

Ainda que o presidente reeleito tenha convocado organismos internacionais como a Organização das Nações Unidas (ONU) e a Organização dos Estados Americanos (OEA) para auditar os resultados eleitorais e convocado a todos os setores sociais a uma “Mesa de Diálogo”, grupos ultradireitistas financiados pelos Estados Unidos, junto os conglomerados de comunicação, mantiveram o golpe em andamento, com o apoio de ampla parcela das forças policiais e omissão das Forças Armadas.

Horas antes, o chefe das Forças Armadas da Bolívia, William Kaiman, tinha lido um comunicado declarando: “sugerimos ao presidente que renuncie a seu mandato permitindo a pacificação e mantendo a estabilidade da Bolívia”.

Vídeos: Evo anuncia renúncia à Presidência da Bolívia, seguindo do vice-presidente Álvaro Garcia Linera







--
Coletivo de Comunicação Colaborativa ComunicaSul está cobrindo as eleições na Bolívia, Argentina e Uruguai com o apoio das seguintes entidades: Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé; Hora do Povo; Diálogos do Sul; SaibaMais; 6 três comunicação; Jaya Dharma Audiovisual; Fundação Perseu; Abramo; Fundação Mauricio Grabois; CTB; CUT; Adurn-Sindicato; Apeoesp; Contee; CNTE; Sinasefe-Natal; Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região; Sindsep-SP e Sinpro MG. 


A reprodução é livre, desde que citados os apoios e o autor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Post Ads